CONHEÇA O PORTO

Apresentação

A Companhia Docas do Ceará (CDC), fundada em 09 de abril de 1965, é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Infraestrutura e a Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, que tem por objeto realizar a administração e a exploração comercial do Porto de Fortaleza, atuando como Autoridade Portuária.


Dirigida por um órgão colegiado composto de quatro diretorias, a CDC trabalha para fazer com que o Porto de Fortaleza, também chamado Porto do Mucuripe, seja cada vez mais um importante fator de desenvolvimento do Estado do Ceará, valorizando a nossa economia e sustentabilidade, nossas indústrias, comércio e riquezas e, principalmente, contribuindo para a geração de trabalho e renda no Ceará e no Nordeste.
 

Com mais de meio século de atividade, o Porto do Fortaleza é um dos terminais marítimos mais importantes e estratégicos do país. Sua localização privilegiada (na enseada do Mucuripe, em Fortaleza, Ceará), o mantém em proximidade com os mercados da América do Norte e Europa, permitindo o atendimento a empresas de navegação com linhas regulares destinadas a portos dos Estados Unidos, Canadá, América Central, Caribe, Europa, África e países do Mercosul, além de itinerários para os demais portos brasileiros através da navegação de cabotagem.


Sua área de influência abrange os estados do Ceará, Piauí, Maranhão, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba, estendendo-se também às regiões Norte, Centro-Oeste e ao Vale do São Francisco. Cimento, arroz, aço, sal, frutas, castanha de caju, farinha, trigo, pás eólicas, escória, gasolina, óleo diesel, petróleo bruto, gás liquefeito de petróleo e óleos vegetais estão entre os principais produtos movimentados pelo Porto.


Por estar encravado na área urbana de Fortaleza, com acessos via BR-116, BR-222, BR-020 e Ferrovia Bitola Métrica, possui uma infraestrutura versátil que permite a movimentação de diferentes tipos de mercadorias, divididos em granéis sólidos, granéis líquidos, carga geral solta e conteinerizada. Ressaltamos também que no Porto de Fortaleza encontra-se um dos maiores polos trigueiros do país.


Considerado como uma da mais moderna estação de passageiros do país, o Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza inseriu a capital cearense na rota dos cruzeiros internacionais, estimulando o crescimento e potencializando o setor turístico no Estado do Ceará.

Porto - Infográfico.png

Histórico

 

Mucuripe e o Porto

 

O desenvolvimento de Fortaleza e do Ceará passa essencialmente pelo mar. Foi através dele que ocorreram diversas transformações em nossa economia, nossa cultura e na vida urbana do nosso povo. Foi um jangadeiro, Francisco José do Nascimento o “Dragão do Mar”, quem liderou, ainda em 1881, a luta pelo fim da escravidão, recusando-se a transportar escravos para o Ceará. Pelo mar vieram o teatro José de Alencar, cujas estruturas foram importadas da Escócia; os primeiros cinematógrafos; os pensamentos literários, políticos e filosóficos que chegavam da Europa pelos navios e o futebol que desembarcou em Fortaleza junto com os marinheiros ingleses. E por ele saem também muito do que é hoje o Estado do Ceará e a cidade de Fortaleza, por meio de de nossos produtos regionais: calçados, couro, castanha, lagostas e frutas.

Esta histórica identidade do cearense com o mar tem um protagonista: o Mucuripe. Bem antes de abrigar o Porto, foi por este pequeno pedaço do litoral fortalezense que desembarcaram importantes fatos da nossa história. Pesquisas e documentos históricos defendem a tese de que no local onde funciona o atual cais do Porto de Fortaleza se deu a chegada do navegador espanhol Vicente Pinzón, em janeiro de 1500, no que pode ter sido o desembarque do primeiro europeu no Brasil (três meses antes de Cabral) e, portanto, o grande marco inicial das nossas atividades portuárias. Este marco fez com que a enseada do Mucuripe fosse a porta de entrada dos primeiros visitantes no Ceará. Outra tese, apresentada pelo jornalista e pesquisador Rodolfo Espínola, chama a atenção para a forte possibilidade de o Mucuripe, durante a segunda guerra mundial, ter sido ponto estratégico para a implantação de uma base de suprimentos norte-americana.

Por estes e outros fatos, o Mucuripe, é um dos lugares mais tradicionais e simbólicos de Fortaleza. Antes uma bucólica vila de pescadores, hoje mistura jangadas com modernos arranha-céus e com a presença onipotente do Porto. O encanto do local - onde uma saliente ponta de terra avança o Atlântico e forma uma bela enseada - foi e ainda é fonte de inspiração de poetas, cantadores e pintores, entre eles os compositores cearenses Belchior e Fagner (cujos versos da canção Mucuripe foram imortalizados na voz de Elis Regina), o fotógrafo Chico Albuquerque e o artista plástico Raimundo Cela.

A presença do Porto de Fortaleza no Mucuripe e a influência direta do terminal no crescimento do Estado e da capital cearense contribuíram ainda mais para fortalecer a relação histórico-cultural do Ceará e da cidade de Fortaleza com o local.

 

Características e Infraestrutura

 O Porto de Fortaleza apresenta, em sua retroárea:

Sistema de dutovia interligado à fábrica de

margarina​ e distribuidora/ refino de petróleo.

23 Tanques (Raízen, BR, SP, Ipiranga)

03 Moinhos de Trigo (118 mil t.)

06   Berços no Cais Comercial (berços 101 a 106)

02    Berços no Píer Petroleiro (berços 201 e 202)

04    Armazéns (trigo, milho, granéis)

02     Armazéns arrendados - O segundo maior polo trigueiro do país está no  Porto de Fortaleza

500 Tomadas frigoríficas (pátio de contêineres) 172 mil/m2 de pátio

Canal de Acesso

3.500m

Comprimento

Largura

160m

Profundidade Média

14m

Píer de Petroleiros - Plataforma

90m

Comprimento

Profundidade

14,0m

Amplitude de Mar

3.500m

Variação Máxima

Variação Média

160m

Nível Médio

14m

Cais Acostável

1.054m

Comprimento

Profundidade Mínima

3.60m

Profundidade Máxima

13,00m

Píer de Petroleiros - Acesso

Comprimento

853m

Largura

3,70m

02 Petroleiros

Capacidade