top of page

CDC marca presença no debate sobre pesca sustentável com lideranças locais e internacionais



Lideranças locais e internacionais estão reunidas em Fortaleza para discutir a pesca sustentável e buscar a união deste setor produtivo que é responsável por mais de 50% das proteínas animais consumidas pelos seres humanos: crustáceos, moluscos, algas e peixes. A Companhia Docas do Ceará marcou presença neste importante evento com a diretora-presidente Mayhara Chaves compondo a mesa principal com outras autoridades. Coube ao secretário nacional de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Jorge Seif Júnior, fazer a abertura oficial da 7ª Reunião Ordinária da Aliança Latinoamericana de Pesca Sustentável (ALPESCAS), no Salão Iracema, no Marina Park Hotel.


Em sua fala, o secretário Jorge Seif ressaltou que “todos os países passam por problemas semelhantes da pesca, principalmente da pesca ilegal, não regulamentada e não reportada. Isso é um problema para todos os países e não só da América Latina. Pincipalmente no Brasil, durante muitos anos os governos não olharam para o mar e para as águas com o olhar devido de que a economia do mar poderia trazer desenvolvimento social para as nossas populações, para o nosso povo, nosso pescador e nossa aquicultura”. Ele pontuou, ainda, que levará as demandas para Brasília para que, cada vez mais, o governo brasileiro possa ouvi-los e fazer políticas públicas adequadas para que o setor de aquicultura e pesca nacional brilhe.


“Esse seminário é muito importante. Eu fico muito feliz em ver pessoas do Oiapoque ao Chuí do nosso Brasil, ligados aos setores de aquicultura e pesca, para falarmos sobre este tema aqui no Ceará”, enfatizou o secretário nacional de Pesca. Sua fala foi marcada, ainda, pela defesa de uma indústria forte e de um governo alinhado com as necessidades do setor. “Nós precisamos falar de sustentabilidade, sem fragilizar a parte social e econômica. As indústrias são os processadores dos grandes centros e os pescadores e os aquicultores são, no final das contas, quem põem a mão na água, na massa e no artefato de pesca para trazer o pescado à nossa mesa”, conclui.


Entusiasta do tema, a diretora-presidente da CDC, Mayhara Chaves, cita como um exemplo de contribuição para este setor aqui no Ceará a Compex Indústria de Pesca e Exportação Ltda, representada no evento desta quinta-feira (02) pelo seu diretor Paulo de Tarso. Ocupando área de 11.963m2 concedida por meio de pregão eletrônico por um período contratual de 20 anos, assinado em abril do ano passado, a empresa deve entrar em operação no início do próximo ano. Com a reta final da montagem dos equipamentos, os próximos passos serão a vistoria e o licenciamento junto ao Ministério da Agricultura. Os primeiros produtos comercializados serão peixe vermelho para exportação (Estados Unidos) e atum para a Gomes da Costa por meio do Porto de Fortaleza. Entre maio e junho de 2022 deverá iniciar também a exportação de lagosta.


Entre as autoridades presentes na 7ª Reunião Ordinária da Aliança Latinoamericana de Pesca Sustentável (ALPESCAS), estavam: Alexandre Guerra Espogeiro (presidente do Coletivo Nacional de Pesca e Aquicultura – CONEPE); Osciel Velásquez (presidente da Aliança Latino-Americana para a Pesca Sustentável – Alpescas); Sampaio Filho (representando a Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC); Elisa Gradwhol (presidente do Sindicato das Indústrias de Frios e Pesca no Estado do Ceará – Sindfrio); Sílvio Carlos Ribeiro Lima (secretário executivo do Agronegócio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho – SEDET); e Célio Fernando Bezerra Neto (secretário executivo de Regionalização e Modernização da Casa Civil do Governo do Ceará).

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page