top of page

Escassez de contêineres, governança e sustentabilidade entram na pauta do 2º ENAPH


A edição nacional do Fórum Brasil Export 2021, acontecendo desde ontem (28) em Brasília, teve como um dos pontos altos o 2º Encontro Nacional de Autoridades Portuárias e de Hidrovias (Enaph) logo na abertura desse importante evento, que reuniu as principais lideranças do setor logístico e de infraestrutura portuária. Promovido pela Associação Brasileira de Entidades Portuárias e Hidroviárias (Abeph), o debate focou em dois temas: “Escassez de contêineres, aumento dos fretes marítimos e tendência no mercado de navegação” e “Governança e sustentabilidade nas Autoridades Portuárias”. Na primeira edição, em novembro do ano passado, o tema escolhido foi “Privatizações”.


Atuando como moderadora do primeiro painel, a presidente da Abeph, que também é diretora-presidente da Companhia Docas do Ceará e presidente do Conselho Feminino do Brasil Export, Mayhara Chaves, observou que desde o início do segundo semestre deste ano a economia mundial começou a respirar após meses de restrições devido à pandemia da Covid-19. “Esse movimento positivo refletiu na disparada de encomendas no comércio exterior acima das projeções e capacidade logística dos nossos terminais portuários”, acrescentou Mayhara. Ao seu ver, grande parte dessas mercadorias se acumularam em armazéns e portos, principalmente na China, onde houve grande demanda de produtos e o desbalanceamento entre a oferta e a demanda. Os fretes que antes da pandemia custavam 2 mil dólares passaram a custar mais de 10 mil dólares.


O painel “Escassez de contêineres, aumento dos fretes marítimos e tendência no mercado de navegação” foi debatido também pelo CEO da DP World Santos, Fabio Siccherino; CEO da Santos Brasil, Antônio Carlos Sepúlveda; diretor-executivo do Centronave, Claudio Loureiro; diretor-presidente da Santos Port Authority (SPA), Fernando Biral; e o gerente de Planejamento da Companhia Docas do Pará (CDP), Ricardo Medina. Cada debatedor explicou a realidade nos portos geridos por eles, ressaltando os problemas como a quarentena de tripulantes dos navios atracados neste período de pandemia. A consequência, pontuou Biral, vai desde mercadorias paradas até atraso no sistema portuário.


Devido à presença limitada, muitas pessoas puderam acompanhar os dois dias do Fórum Brasil Export de forma online e gratuita. E com todas as restrições que o momento ainda exige, o evento foi sucesso de público, com muitas ideias e sugestões levantadas para serem amadurecidas e até implementadas. A edição nacional do fórum foi antecedida por mais de 40 lives e seis fóruns regionais realizados no Rio de Janeiro/RJ, Belém/PA, Rio Verde/GO, São Luís/MA, Guarujá/SP e Rio Grande/RS. As iniciativas online e presenciais reuniram mais de 300 debatedores e 12,5 mil espectadores ao longo deste ano.



bottom of page