top of page

CDC lança reflexão pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo


O Dia Nacional de Combate ao Fumo, celebrado no dia 29 de agosto, foi criado em 1986 com a finalidade de fortalecer as ações de sensibilização e mobilização das pessoas, visando conscientizar sobre o problema do tabagismo como uma questão de saúde coletiva. Tema de relevância, a Companhia Docas do Ceará lembra que apesar do número de fumantes apresentar queda nas últimas décadas no país, após ações desenvolvidas pela Política Nacional de Controle do Tabaco, é preciso continuar cuidando da saúde.


Responsável por mortes, doenças e alto custo ao sistema de saúde, o hábito de fumar é o único fator de risco completamente evitável e que afeta indiretamente a qualidade de vida da pessoa que fuma, do fumante passivo e da sociedade como um todo.


Danos econômicos e sociais


Econômicos: A devastação causada pelo tabaco vai além das doenças e da morte acarretadas pelo seu consumo. Fumar atrapalha o desenvolvimento sustentável do planeta. Segundo dados da Paridade do Poder de Compra (PPC), em 2016, globalmente, o custo econômico do tabagismo foi equivalente a quase 2 trilhões de dólares por ano, quase 2% do total da produção econômica mundial.


Sociais: Grande parte do custo total do tabagismo é causado pela perda de rendimento por parte dos que estão doentes ou morrem por causa do hábito de fumar. Outros 30% desses custos são despesas com a assistência médica para o tratamento de doenças atribuídas ao tabagismo.


Estatísticas:

Dados da Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição (PNSN), em 1989, apontam que 34,8% da população acima de 18 anos era fumante. Em 2003, esse percentual caiu para 22,4% e em 2008, de acordo com dados da Pesquisa Especial sobre Tabagismo (Petab,) o número baixou para 18,5 %. A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) revelou que,no ano de 2019, o percentual total de adultos chegou a 12,6%.


Um estudo¹ de 2005 revelou que o tabagismo, naquele ano, foi responsável por 7,7% dos custos de todas as internações e procedimentos de quimioterapia pagos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para as doenças analisadas.


Baseado nos valores monetários de 2011, a pesquisadora da Fiocruz Márcia Pinto desenvolveu um estudo chamado “Carga das Doenças Tabaco Relacionadas para o Brasil", no qual foi estimado que o custo para o sistema de saúde atribuível ao tabagismo chegou a R$ 21 bilhões por ano.


Dicas para parar de fumar

  • Tenha determinação

  • Marque um dia para parar

  • Corte gatilhos do fumo

  • Escolha um método

  • Encontre substitutos saudáveis

  • Livre-se das lembranças do cigarro

  • Encontre apoio de amigos e familiares

  • Escolha a melhor alimentação

  • Procure apoio médico

  • Troque experiências em um grupo de apoio

Largando o tabagismo:

  • Ajuda na prevenção de pelo menos 50 doenças

  • Redução dos riscos de câncer na boca, garganta, esôfago, bexiga, rim e pâncreas

  • Saúde da boca e todo o sistema respiratório

  • Saúde do coração

  • Expectativa de vida maior e melhor

  • Benefício da própria saúde e daqueles à sua volta

  • Deixar de fumar um maço por dia pode render R$ 150 de economia por mês e R$ 1,800 ao fim do ano

  • Melhora do olfato e paladar

  • Melhora de até 30% da função pulmonar

  • Menor risco de AVC e Infarto


¹ - Pinto M, Uga MAD. Os custos de doenças tabaco-relacionadas para o Sistema Único de Saúde. Cad. Saúde Pública [online]. 2010, 2 (6): 1234-1245.




bottom of page